Rio Content Market recebe Mark Gatiss, roteirista de 'Sherlock' e 'Doctor Who'

01 ABR 2014
01 de Abril de 2014
Durante os 3 dias do Rio Content Market, que aconteceu no Hotel Windsor, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro; além de ótimas palestras e workshops que mostrou aos profissionais cariocas, como trabalhar em harmonia com o mercado internacional, vários palestrantes convidados falaram do segredo do sucesso.
Entre eles Mark Gatiss que escreveu por um tempo para uma das séries de ficção científica mais bem sucedidas de todos os tempos, a britânica 'Doctor Who', produção do canal BBC. Atualmente está junto de Steven Moffat (produtor de 'Doctor Who') trabalhando na versão moderna das histórias do detetive criado por Sir Arthur Conner Doyle, a série da BBC 'Sherlock'.

Como em todas as palestras imagens do trabalho do palestrante foram exibidas no telão do audiotório, lotado. Onde o público pode ver cenas de episódios tanto de 'Sherlock', como também de 'Doctor Who'.

Mark Gatiss estava animado em estar no Rio, de acordo com algumas imagens divulgadas pela BBC Brasil, ele curtia a cidade antes da palestra e chegou sorridente.

Muita simpatia e bem humorado, falou um pouco de 'Doctor Who', mas o foco da palestra era mesmo a versão moderna de Sherlock Holmes, estrelada pelos atores britânicos Benedict Cumberbatch e Martin Freeman, respectivamente Holmes e Watson.

Ele confessou durante a palestra que que criou 2 monstros, dado aos grandes hiatus entre as temporadas, por causa da agenda de ambos, que estrelaram recentemente grandes produções. Enquanto Benedict Cumberbatch foi destaque como o vilão de 'Star Trek: Into Darkness', Martin Freeman é o protagonista da trilogia 'O Hobbit' (na qual Benedict Cumberbatch também participou, emprestando a voz ao personagem Smaug).


Sobre a polêmica do final da segunda temporada, que conhece as histórias originais, sabe que os episódios são inspirados nos livros originais e o acontecimento que cria um gancho para a terceira temporada, é de uma das dezenas de histórias de Sir Arthur Conner Doyle.

"Nós pensamos na ideia original em que Sherlock some... foi muito difícil manter o segredo sobre o episódio."

Quando perguntado se os fãs das histórias de Sherlock Holmes não ficaram aborrecidos de terem ambientado a história nos tempos atuais, dando aos personagens celulares e computadores, Mark Gatiss afirma que não, "ao contrário... na época do Conan Doyle, as pessoas usavam telegramas, o que não é diferente do que fazemos hoje com as mensagens de texto."


"O que eu acho surreal é assistirem aos programas de TV hoje em dia e comentar em tempo real no Twitter, por exemplo... assista pelo amor de Deus e depois comentem," brincou.

Quando perguntaram se ele faria um episódio tipo Holmes e Watson de férias no Rio de Janeiro, Mark Gatiss brincou que o calor carioca iria acabar com o visual característico do personagem (sobretudo e cachecol). "É a marca registrada dele," comentou divertido com a ideia.

O roteirista e também ator Mark Gatiss, curte muito atuar e na série faz eventuais aparições, como Mycroft, o irmão mais velho de Sherlock Holmes.

Sobre escrever as próprias falas, já que interpreta o mais velho irmão Holmes, Mark Gatiss confessou que é uma ótima experiência, pois pode mudar as falas sem ninguém questionar.

Em relação a 'Doctor Who', fã confesso da série, que completou em 2013 50 anos, Mark Gatiss revelou que seu Doutor favorito foi o terceiro, interpretado por Jon Pertwee. Para quem não sabe o protagonista da série, o Doutor, é um alienígenas com a capacidade de regenerar, tornando-se uma outra pessoa de tempos em tempos.

Como fã, o roteirista revelou que se inspirou em antigos episódios da série para escrever seus roteiros. "O Doutor é sempre o Doutor. Cada ator traz um pouco da sua personalidade. Matt (Smith) e David (Tennant) eram mais engraçados. O Peter Capaldi (o atual) está fantástico! É mais perigoso e um pouco sombrio. 'Doctor Who' é igual a Madonna. Ambos fizeram 50 anos e vivem se recriando."


Mark Gatiss também falou do roteiro do telefilme que escreveu para a BBC, o qual foi inspirado na história real da criação de 'Doctor Who', chamado 'An Adventure in Space and Time'. O roteiro mostra o início da produção, ainda em Londres (atualmente a série é gravada na cidade de Cardiff, País de Gales, UK), com David Bradley interpretando o primeiro Doutor, William Hartnell.

Um dos moderadores da palestra não resistiu a tentação e teve que perguntar se alguém tinha pensando em um crossover de 'Sherlock' e 'Doctor Who'.

"Se isso acontecesse seria o fim," afirmou Mark Gatiss, dado ao fato das séries serem ambientadas em universos diferentes. Curiosamente não é o fato de 'Doctor Who' contar a história de um alien em uma máquina do tempo que é o problema, mas de 'Sherlock Holmes' ser um personagem ficcional de um livro que impede a união dos universos. Isso porque o Doutor costuma mencionar livros favoritos, isso quando não faz uma visita aos autores. Entre os já mencionados estão os livros de Sir Arthur Conner Doyle.

Quando perguntado que gênero prefere escrever, Mark Gatiss comentou que preferia escrever comédia. Sem resistir a uma reclamação típica de fã. "Quando assisti 'Homem de Aço', achei o filme muito sério... e é uma história sobre o Superman," comentou. "Deveria ter um pouco de comédia também."

Após a palestra Mark Gatiss teve dois encontro com os fãs brasileiros em livrarias da Cultura, um no Rio de Janeiro e outro em São Paulo. Depois retornou ao Rio para curtir a cidade, incluindo o transito caótico e o ônibus cheio, durante os passeios típicos de turista.

Mark Gatiss também falou um pouco sobre sua participação na série americana'Games Of Thrones'. (Detalhes em breve no Blog Contos Sobrenaturais.) 

Texto e Fotos: Anny Lucard

Voltar