Coletiva Estrelar de "RioEuTeAmo na Cidade Maravilhosa"

14 SET 2014
14 de Setembro de 2014
O filme 'Rio, Eu Te Amo' teve uma coletiva estrelar na segunda-feira passada (8), onde também foi visto pelos jornalistas brasileiros em cabine de imprensa pela manhã.

No mesmo dia, a noite também aconteceu a Première de 'Rio, Eu Te Amo', tudo no Espaço Lagoon, na Lagoa, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Foto: Louise Duarte

A cidade do Rio de Janeiro entrou para a lista de cidades da franquia 'Cities of Love', iniciada em Paris, virando filme através da ideia de Josh Shkurla o qual idealizou um longa feito feito a várias mãos, em histórias curtas que depois foram "costurados" por Vicente Amorim, com personagens e tramas de ligação, para tornar as histórias individuais do cotidiano carioca, uma única e bela história de amor pela Cidade Maravilhosa.

Entre os diretores envolvidos na produção estão Carlos Saldanha, José Padilha, Nadine Labaki, Stephan Elliot, Im Sang Soo, Fernando Mereilles, Andrucha Waddington, Paolo Sorrentino, John Turturro e Guillermo Arriaga; os quais não só dirigiram os curtas, mas foram os idealizadores de cada um deles, pois a ideia era contar histórias com pontos de vista bem diferentes, mostrando o Rio de Janeiro através dos olhos de pessoas de partes diferentes do mundo e não só brasileiros.

Foto: Louise Duarte

O elenco estrelar do filme também ajudou a abranger tais visões, já que reuniu tanto atores nacionais, como vários internacionais. Nomes como Ryan Kwanten, Marcelo Serrado, Rodrigo Santoro, Bruna Linzmeyer, Wagner Moura, Eduardo Sterblitch, Fernanda Montenegro, Tonico Pereira, Nadine Labaki, Márcio Garcia, Jason Isaac, Land Vieira, Laura Neiva, Cauã Antunes, entre outros.

O número de estrelas na produção também proporcionou uma das coletivas com maior número de presentes entre produtores, diretores e atores envolvido, os quais falaram a imprensa presente na tarde de segunda no Miranda, no Lagoon, logo após a cabine de imprensa, sobre o trabalho no projeto.

Foto: Louise Duarte

A ideia de Josh Skurla surgiu após contato com o responsável por 'Paris, Eu Te Amo, filme que abriu o Festival de Cannes de 2006. Ele queria incluir a cidade do Rio na franquia 'Cities of Love'.

Quando questionado como escolheu os diretores para a produção, Josh Shkurla falou que buscava visões de várias partes do mundo, por isso fez uma lista e ficou feliz que quase todos aceitaram o convite de imediato.

As filmagens duraram cerca de 7 meses e exigiu um grande trabalho da produção, como informou Pedro Buarque, que estava animado com a iniciativa de junto com o filme, criar uma espécie de campanha, com página no Facebook (que já tem mais de 1 milhão de curtidas), não só para divulgar 'Rio, Eu Te Amo', mas para registrar iniciativas que declarassem amor a Cidade Maravilhosa.

Foto: Louise Duarte

Outro animado com a produção era Sérgio Sá Leitão, diretor da RioFilme, que mesmo "tentando se esconder" durante a coletiva, o que observou brincalhão, falou do objetivo de promover a cidade através do filme e das iniciativas. Afirmando que os cariocas e a cidade estão muito bem representado em 'Rio, Eu Te Amo' e que espera que o filme tenha um grande público no Brasil e também no exterior. “O maior patrimônio do Rio de Janeiro é mesmo o carioca,” declarou.

Entre os diretores presentes na coletiva estava Vicente Amorim que falou do seu trabalho com os personagens de transição que além de "costurar" os curtas, era figuras marcantes do cotidiano da cidade, como do típico taxista carioca, interpretado pelo ator Michel Melamed.

Foto: Louise Duarte

Também presente na coletiva, o diretor e desenhista Carlos Saldanha, conhecido por seu trabalho na área de animação, com filmes como o da franquia 'A Era do Gelo', que assina o primeiro trabalho com atores de carne e osso no curta da produção.

A história que o diretor escolheu, se passa no Teatro Municipal, durante uma apresentação de balé onde o casal de bailarinos discutem enquanto dançam.

Carlos Saldanha falou que sempre se emocionou com a dança e quando encontrou o Rodrigo em New York, o qual fazia preparação física para as filmagens de '300: A Ascensão do Império', o diretor não resistiu em perguntar "se faria um bailarino e ele topou".

Sem muitos conhecimentos de casting (elenco) do Brasil o diretor falou que descobriu Bruna Linzmeyer e a achou a pessoa certa a qual ao lado de Santoro formavam o casal que imaginou e que se dedicaram para convencer como bailarinos. Mesmo que na parte do balé tenham sido substituídos por dublês, ambos ficaram em forma para convencer como bailarinos.

Foto: Louise Duarte

A diretora e atriz libanesa Nadine Labaki, assim como o brasileiro José Padilha, foram dois diretores que buscaram contar histórias com críticas sociais, mesmo que carregadas de humor, como a maioria das histórias contada, já que os moradores do Rio são famosos pelo bom humor e por fazer piada até nas situações mais caóticas.

Nadine Labaki, que esteve na coletiva no Rio, falou que quis falar um pouco de religião, futebol e sobre as diferenças sociais que via pelas ruas do Rio.

No entanto o desafio foi trabalhar com o ator mirim Cauã Antunes que também estava na coletiva, o qual tem só 6 anos. Isso porque, mesmo que fosse perfeito para a visão de sua história, o fato de ser uma criança super ativa, fez a diretora e produção ter um trabalho dobrado com o menino. "Sinto-me abençoada por ter encontrado o Cauã, ele foi o primeiro garoto que eu vi no casting e foi exatamente quem eu procurava. Mas acho que o maior milagre foi conseguir que ele parasse em algum lugar e falasse seu texto. Ele não parava por mais de 20 segundos!", comentou a diretora rindo para o ator mirim, sentado ao seu lado.

Foto: Anny Lucard

O diretor Guillermo Arriaga também tem quis contar uma história com dose de crítica social, mas o foco foi o drama. "Tenho um carinho muito grande pelo Brasil. Para mim, o Rio é a melhor cidade do mundo, depois da Cidade do México", comenta o diretor risonho. E Guillermo Arriaga conhece não só várias cidades pelo mundo, mas também algumas brasileiras, como Parati e Porto Alegre.

"Já fui a muitos países antes de fazer o filme e sempre me interessei pelas contradições da sociedade brasileira, que lembram um pouco as do México. Acho incrível como existe o Vidigal e o Leblon tão próximos. As favelas são muito interessantes e a própria diversidade das pessoas chama a atenção", comentou o diretor.

Guillermo Arriaga fez questão de elogiar a técnica durante a coletiva, afirmando que foi uma das melhores com que trabalhou. "Quis fazer uma história dramática para fazer um contraponto ao tom geral de comédia (de boa parte do filme)," disse.

Foto: Anny Lucard

Já Andrucha Waddington revelou que sua história da "Dona Fulana", é quase verídica, pois ouviu anos atrás, em um bar no Leblon, sobre um mendigo que serviu de inspiração para a personagem de Fernanda Montenegro, a protagonista do curta ao lado de Eduardo Sterblitch, que faz seu neto.

A história também teve o auxílio de uma boa pesquisas, feita junto aos moradores de rua da cidade, onde ele constatou que a ideia a princípio surreal, não era assim tão absurdo, pois haviam vários entre os entrevistados que também buscavam fugir do sistema.

Sobre seu trabalho junto com Fernanda Montenegro, Eduardo Sterblitch falou do presente que foi o papel. Destacando também a presença de Chico Buarque e Gilberto Gil na trilha sonora, além da participação do ator Hugo Carvana. "A minha intenção foi apenas passar a bola para eles fazerem o gol, porque eles são os verdadeiros craques,” comentou sorridente.

Foto: Anny Lucard

Já Marcelo Serrado falou de seu trabalho no curta do diretor australiano Stephan Elliott, conhecido pelo filme 'Priscilla, a Rainha do Deserto', que fez junto com o australiano Ryan Kwanten, conhecido mundialmente pelo trabalho na série de TV vampiresca 'True Blood'.

Foi difícil não brincar com o fato da história envolver novamente um personagem gay e o ator brasileiro até comentou: "Estou me especializando em gays." E aproveitando a presença de Márcio Garcia na coletiva, completou o comentário brincalhão: "Mas acho que esse vai ser o último. O próximo vou passar pro Márcio Garcia (que apoiou a ideia)."

Na história do diretor Stephan Elliott, os atores tiveram que escalar o Pão de Açúcar, para desespero de Marcelo Serrado, que afirmou na coletiva que tem pavor de altura. Porém, além de terem colocado todos os equipamentos de seguranças necessário, o ator revelou que a vista era linda. "Você consegue enxergar uma parte do Rio que só aparece quando anda de avião”, observou.

Foto: Anny Lucard

Roberta Rodrigues que participou do curta mais surreal e divertido entre as história revelou que foi fantástico trabalhar com o diretor coreano Im Sang Soo, o qual foi buscar nas pornochanchadas brasileiras, inspiração para subir o Vidigal na companhia de vampiros.

A franquia de 'Cities Of Love' tem apoio no Brasil de várias empresas, como O Boticário que criou inclusive uma linha de perfumes inspirada no filme, e a distribuição de 'Rio, Eu Te Amo' será feita pela Warner a partir de hoje (11), em 220 salas de cinema por todo o país. Porém o filme também será distribuído pelo mundo, onde a curiosidade pela Cidade Maravilhosa só aumenta por conta da Copa do Mundo, que aconteceu este ano, e também das Olimpíadas, em 2016.


Leia sobre o filme na Coluna Digital Rio Na Cabine: 'Rio, Eu Te Amo'

EM BREVE MATÉRIA EXCLUSIVA SOBRE MEU ENCONTRO COM CARLOS SALDANHA E SUA ESTREIA NA DIREÇÃO FORA DO MUNDO DAS ANIMAÇÕES!

Outras informações sobre a produção, saiba+: #RioEuTeAmo

#RIOEUTEAMO
http://rioeuteamo.net/

FACEBOOK: https://www.facebook.com/riodejaneiroeuteamo
TWITTER: @rioeuteamo
YOUTUBE: Rio Eu Te Amo

Texto: Anny Lucard
Fotos: Louise Duarte e Anny Lucard
Voltar